<< Voltar para o site

Máquinas trocam embalagens por créditos no Bilhete Único e desconto na conta de luz

1 • 02 • 18

Uma startup de São Paulo trouxe para o Brasil um projeto que já faz sucesso pela Europa e Ásia. É uma máquina de reciclagem que reverte embalagens vazias em créditos ou descontos para o consumidor.

Projetada pela Triciclo, a Retorna Machine é uma máquina de venda reversa (“reverse vending machine”), destinada a recolher resíduos sólidos reutilizáveis e ou recicláveis, como PET, latas de alumínio, embalagens longa vida, vidro. A ideia é evitar que esses materiais sejam descartados de maneira errada e ainda conscientizar as pessoas sobre a importância da reciclagem e da logística reversa fechando o ciclo do produto.

As máquinas de reciclagem ficam em pontos movimentados da Grande São Paulo como estações de metrô, terminais de ônibus e shopping centers.

O funcionamento é bem simples: basta o usuário se cadastrar no site ou app do projeto, levar o recipiente reciclável, inserir na máquina e esperar ela gerar pontos. A máquina reconhece o material por meio de um leitor de código de barras e computa pontos triciclo no perfil do cidadão. Cada garrafa de PET vale 10 pontos, enquanto a latinha vale 15. A cada 100 pontos, o usuário pode resgatar R$0,35 em crédito no Bilhete Único, R$0,27 centavos em desconto na conta de luz ou ainda, podem ser doados para projetos sociais.

No site e no aplicativo também é possível saber a disponibilidade de cada máquina (o quanto do compartimento está cheio), bem como filtrar pelo tipo de material que cada Retorna Machine coleta (PET, alumínio, Tetrapak, Vidro). Assim você não corre o risco de não conseguir depositar os seus resíduos porque a Retorna Machine está cheia.

Todo o material coletado é tratado pela própria Triciclo (que faz a triagem, classificação, prensa e enfardamento) para envio às cooperativas de catadores de lixo e empresas recicladoras. Em pouco mais de um ano de atividade, as Retorna Machines já coletaram mais de 800 mil embalagens, que foram revertidas em milhares de benefícios sociais.

 

FONTE: Autossustentável goo.gl/gMrKmb

Programa troca lixo reciclável por frutas e verdura em Curitiba

25 • 01 • 18

Estimular a coleta seletiva do lixo e contribuir com uma alimentação mais saudável para a população: é para isso que serve o programa Câmbio Verde, da Prefeitura de Curitiba, que troca lixo reciclável por frutas e verduras.

De terça a sexta-feira, caminhões rodam 101 pontos de apoio para realizar as trocas. A cada 4 kg de lixo reciclável recolhidos, 1 kg de alimento é entregue. O óleo de cozinha, vegetal ou animal, também faz parte do programa: 2 litros valem 1 quilo de comida.

A ideia surgiu em 1989, quando ainda era batizada de Compra do Lixo. Na época, o lixo orgânico era trocado por vales-transporte para estimular os cuidados com a limpeza urbana.

Era o embrião do Câmbio Verde, que surgiu dois anos depois num formato bem parecido com o atual. O objetivo do programa é atender a população de baixa renda, que recebe até 3,5 salários mínimos por mês, incentivando a separação dos resíduos e contribuindo na busca por mais saúde. Além disso, os pequenos produtores de hortifrútis da região metropolitana também são beneficiados pela compra dos produtos por parte da prefeitura.

O material reciclável recolhido é encaminhado à Usina de Valorização de Rejeitos, onde é separado por tipo e vendido para indústrias que o transforma em matéria-prima e novos produtos.

De acordo com a administração da capital paranaense, aproximadamente 7 mil pessoas são atendidas pelo Câmbio Verde por mês. Em média, são coletadas cerca de 350 toneladas de lixo, trocadas por quase 100 toneladas de alimentos.

 

FONTE: Hypeness goo.gl/DqGdLu

Ar condicionado de tubos de argila tem custo zero de energia

18 • 01 • 18

Uma solução escalável de baixa tecnologia para o resfriamento natural.

Ar condicionado de tubos de argila tem custo zero de energia

Apesar de alguns dias de calor, desde o início do verão as temperaturas têm se mantido em clima bem ameno. Mas, qualquer brasileiro sabe o que ainda vem por aí e enquanto aguarda (não tão ansiosamente) pode se inspirar em uma ideia incrível de um estúdio indiano: usar cones de argilas para criar um ar condicionado super fresquinho, barato e sem gasto de energia.

A ideia veio do Ant Studio, com sede em Nova Delhi, que construiu o aparelho para a fábrica DEKI Electronics. A solução de baixo custo aproveita o poder do resfriamento evaporativo e ajuda a reduzir o calor intenso dentro do ambiente, que está localizado em, nada menos, que a escaldante capital da Índia.

Além de sua funcionalidade, os desenvolvedores ainda prezaram pela beleza, construindo um produto em forma de colméia. A forma e o tamanho de cada cone foram determinados por análises computacionais avançadas e técnicas modernas de calibração. De forma que basta o cone ser molhado uma ou duas vezes no dia para garantir o resfriamento da temperatura do ar. E o fluxo de água ainda cria um lindo efeito de cachoeira.

Para os arquitetos, esta pode ser uma solução escalável de baixa tecnologia para o resfriamento natural.

Innovative-cooling-installation-in-New-Delhi-1-1020x610

Innovative-cooling-installation-in-New-Delhi-6-1020x610

Innovative-cooling-installation-in-New-Delhi-11-1020x610

 

 

FONTE: Ciclo Vivo goo.gl/vpJbqt